• rroxio

    PT
    Às vezes odeio-me! 🙂 Decidi que iria fazer o seguimento usando ambos os aspetos que me atraíram a atenção na foto anterior. Imaginei uma foto de uma flor, a representar o início de uma vida, fotografada de um ângulo baixo, como se fosso um cálice. Mas às vezes a minha cabeça vagueia em excesso por outros projetos fotográficos e não faço o que tenho que fazer no tempo certo. A flor que escolhi há uma semana atrás para fazer a foto decidiu não esperar por mim para rebentar na sua plenitude. Lá se foi a foto que tinha imaginado por água abaixo — culpa da flor, claro! Decidi então deixar cair a minha ideia inicial e deixar a flor já aberta representar a primavera da vida. Um cartão branco por trás da flor e a iluminação do telemóvel durante 30 segundos fizeram o resto.

  • Ricardo at his best. Or, as he once put it, a return to his roots in photography where he was photographing a lot of nature details.

    This is a beautiful photograph with a splendid rendition of his capture of this flower. I have not seen the original image but I’m sure he worked it quite a lot to turn a good photograph into a great image.

    What I most enjoy in it is the delicate way the light tones of grey of the flower’s petals are rendered. At points, almost merging with the background, they still manage to capture your attention and affirm their presence.

    The other aspect I also like a lot and that really struck me was the texture of the flower petals. This will be the follow up theme that I will be working on for my next photograph.